sábado, 24 de janeiro de 2015

"Cachoeira do Baú " OU Santo Antônio da Alegria


Que surpresa positiva foi a nossa ida à Santo Antônio da Alegria  no feriado de São Sebastião em Ribeirão Preto , nesse último 20 de janeiro de 2015.


Saímos às 7:30 hs da manhã , eu , Fiori, Cristina, Giulia e Pedro de camionete , e logo paramos na Padaria Vila Sucré para tomarmos um café, e comermos um pão reforçado .

Seguimos então para a estrada , passamos por Serrana e logo entramos na entrada para Altinópolis .


Quando chegamos em Altinópolis, pegamos o caminho para Santo Antônio da Alegria ,e logo estaríamos lá.

Uma cidade pacata, calma, com uns 6 mil habitantes que o que tinha de propósito para nós naquela terça-feira ensolarada era a Cachoeira do Baú.


Perguntamos para um , para outro e finalmente  chegamos ao local .


Como havia uma casa no caminho e algumas pessoas lá fora , e também avistamos uma mangueira , resolvemos parar para tirar uma prosa e pedir umas mangas .


Que delícia a manga e o papo com essa gente simples e pura , tomei até um cafezinho servido pelo senhor mais velho , pegamos as mangas que derrubamos do pé , e tiramos uma foto , que aliás , prometemos levar para eles a revelação da mesma .

Deixamos o carro a poucos metros da cachoeira e lá estava ela , sozinha , sem ninguém pronta para a nossa chegada .


Muito bonita, uma água límpida , bem grande e também não muito gelada .

Demos uma caminhada  por ela , vimos sua parte superior  e tomamos banho por um bom tempo .


Quando estávamos quase indo embora, chega uma família de São Sebastião do Paraíso , que por sinal também era feriado na cidade pelo mesmo motivo .


Saímos dali, paramos em uma vendinha , compramos uma coca- cola para um refresco e também umas bolachinhas de canela .


Perguntamos onde era o restaurante , ou onde havia um e nos indicaram o Empório .


Outra grata surpresa, pois muito bonitinho e acolhedor  o restaurante , que tinha self-service nesse dia com uma comidinha caseira muito boa , além de seu suco de abacaxi que tomamos 3 jarras.


Já ficamos satisfeitos até ali, mas, resolvemos ver o morro de onde saltam os atletas de Parapente .

Pedimos informações e lá fomos nós, numa subida bem íngreme para a Ilha do Ar .

No caminho, um rapaz que caiu por ali com seu equipamento , pegou uma carona conosco para subir o morro  e contou um pouquinho do hobby , de como eles fazem , dos equipamentos e da região.

Chegamos ao topo , lugar com antenas de telefonia celular e também arrendado por esse pessoal do Parapente ,


Tinham uns 5 ou 6 no céu e mais uns 3 ali para voar uma outra vez.

Vimos todo o processo de se montar e ajeitar o equipamento , todos os preparativos de segurança , foi muito  legal .


Descemos e fomos parar em uma outra cachoeira, a do Deusdedi . Essa pagava 10 reais por carro para entrar .



Lembrando que a do Baú não se pagava nada .

Pedimos para encher nossas garrafas vazias de água por uma gelada , e fomos à cachoeira .

Essa , tem um poço bem grande em sua frente , mas, não é tão bonita e com a água límpida como a primeira .

Andamos um pouco em sua direção contrária e achamos um local para ficarmos na água e conversarmos  um pouco , fugindo do sol quente .



Feito isso , pegamos o carro , e fomos embora  de Santo Antônio da Alegria , porém , antes paramos em uma plantação de abobrinhas e pedimos algumas para levarmos para os trabalhadores .

No caminho, paramos na gruta de Altinópolis , a Gruta do Itambé , que eu não conhecia .


Tem uma trilha pequena até a sua entrada , nada difícil .

O paredão é bem grande , e achei bem parecida com uma gruta que vi em Sacramento .

Depois ainda , descemos até a cachoeira do mesmo nome , só que o fluxo de água era zero , ou seja , não caía uma gota de água !


Caminho de volta para a casa , 19 horas estávamos em Ribeirão Preto .

Ótimo passeio !

Nenhum comentário:

Postar um comentário