sábado, 29 de janeiro de 2011

Cildo Meireles ou " Desvio para o Vermelho "

O Desvio para  o Vermelho  (1967-1984 ) , obra de Cildo Meireles que coloca em questão  a estrutura do espaço tridimensional monocromático com uma  impregnação acentuada em vermelho que se torna extremamente saturada  causando grande excitação sensorial é formado  por três ambientes articulados entre si, onde no primeiro (Impregnação ) nos deparamos com uma exaustiva coleção monocromática de móveis , objetos e obras de arte .


Nos remete a uma casa, ou a um cômodos, ou a vários cômodos, ou às lembranças .


Há quem cite  também uma relação com Matisse e seu quadro “ Ateliê Vermelho “ de 1911 que antecipa os estudos da cor monocromática na  contemporaneidade.




No segundo ambiente ( Entorno ) , um frasco caído no chão sugere o derramamento de líquido superior ao volume possível  dentro do frasco .


E o terceiro ambiente ( Desvio ) nos direciona a uma pia que derrama água vermelha de sua torneira.
Questionado  sobre o teor político da obra , já que houve uma tragédia na época: O assassinato do filho do governador de São Paulo , Cildo Meireles responde que o Desvio para o Vermelho é muito mais um trabalho sobre a questão cromática do que a política . E que a idéia era criar uma circularidade onde uma coisa fosse jogando para outra, uma fase jogasse para outra , mas não explicasse nada. Assim , Desvio para Vermelho nos faz pensar a uma série de simbolismos  e metáforas , desde a violência do sangue até conotações ideológicas e nos oferece uma sequência  de impactos sensoriais e psicológicos  , onde uma série de falsas lógicas nos devolvem sempre a um mesmo ponto de partida .
Enquanto ouvia as explicações de um monitor sobre a obra, o mesmo me dizia que era a mais visitada em Inhotim . Realmente você vê e se tivesse que escolher uma obra para rever  escolheria essa . Muito interessante mesmo !

Esconderijo - Sandy Leah

Sandy leah - esconderijo by tiagocastelo

Um comentário: