sexta-feira, 18 de agosto de 2017

"André Mehmari e Antônio Meneses no Theatro Pedro II" OU AM60 AM40



Prelúdio de uma bela noite, um concerto com o ribeiraõpretano André Mehmari  que comemorava seus 40 anos e o violoncelista pernambucano Antônio Meneses, que completava 60 anos.


Ou seja, noite de gala no Theatro Pedro II , com uma jóia da cidade que brilha no mundo da música instrumental e o também consagrado mundialmente músico radicado no Rio.


O espetáculo permeava canções de Bach a Tom Jobin e teve a duração de aproximadamente 1 hora e meia .


Uma plateia recheada de aficionados da bela música, um lindo piano e um violoncelo e estava completa nossa noite chic.


Comprei o CD AM60 AM40, que trazia o show por completo para completar o terceiro CD da coleção do pianista .

As músicas do show e do cd :

1- J.S.Bach - Adagio da tocata em dó maior BWV564
2- André Mehmari- Impermanências
3- Alberto Ginastera- Pampeana nº2
4- J.S.Bach- Coral Prelúdio "Nun Komn,der Heiden Heiland"
5-Ernesto Nazareth- Suite de temas de Nazareth
6-André Mehmari- Suite brasileira:Prelúdio/choro-canção/Frevo/Valsa/Baião
7-J.S.Bach- Arioso da Cantata BWV156
8-Clovis Pereira- O Canto do Cego
9-André Mehmari- Aurora Nasceu
10- André Vitor Corrêa- André de Sapato Novo
11-Tom Jobim- Sem Você
12-Astor Piazzolla-- Le Grand Tango


Valeu a pena !


Eu recomendo !

"Mal dos Trópicos" OU A Vida É Feliz e O Amor É Simples







 



Há muito tempo queria assistir ao filme  " Mal dos Trópicos" do diretor Apichatpong Weerasethakul, pelos comentários vistos sobre o mesmo.






É um filme que na primeira parte , te mostra uma linguagem simples, realista, retratando o tranquilo mundo de Keng ( Banlop Lomnoi) , um soldado , divertido, em paz e seu companheiro Tong (Sakdakaewbuadee), um trabalhador do campo, que até estava trabalhando numa fábrica de fazer gelo, mas, ficou desempregado.








No início, não parecia haver nada entre os dois , que não uma amizade, mas, percebemos, que havia sim um relacionamento homoafetivo, e de forma tão natural que era , nem nos chamava tanto a atenção.






Keng e Tong levavam numa boa suas vidas, curtiam a vida contemplando a natureza, o silêncio, o ar puro, os encontros familiares, o futebol , enfim, uma vida sem neuras.






Na segunda parte, entra a fantasia, com alusão às fábulas , nos mostrando uma relação homem X natureza , homem X animal , o bem X o mal , menções à malária , medo , fome , sobrevivência , enfim ...






É nessa parte que muitos irão se deliciar com as figuras de linguagem passadas pelo diretor, mas, que muitos também acharão meio non sense  o filme .






E ele termina assim, nessa toada fantasiosa , que te leva a reflexões ou não .






Valeu a pena !



quinta-feira, 17 de agosto de 2017

"A Um Passo do Estrelato" OU A Não Visibilidade das Cantoras de Apoio





Outro filme-documentário muito interessante é esse "A Um Passo do Estrelato" do diretor Morgan Neville, ganhador do Oscar de Melhor Documentário em 2014 e muitos outros prêmios.


A gente não tem ideia de como é enorme esse mundo de cantores de apoio e a qualidade desse grupo que abrilhantou a música no mundo.




A música é outra com a presença das cantoras de apoio .e cantores como Bruce Springsteen, Stevie Wonder, Mike Jagger e Sting, sempre contam com a presença desses profissionais.


Darlene Love, Judith Hill, Merry Clayton, Lisa Fischer, Tata Veja , Jo Lewry e outras são simplesmente um show, fantásticas !




O longa retrata bem o mundo delas, suas vitórias e decepções , sempre atrás  das grandes estrelas .




O legal é que toda backing vocal que dava entrevista , mostrava todo o seu currículo com os artistas com quem trabalharam .




Poucas delas seguiram carreira solo e tiveram sucesso . A grande maioria não teve o reconhecimento suficiente para seguir na pista.




Pra quem gosta de música e é do ramo vai se apaixonar com o longa e com a qualidade desses artistas no mundo business norte americano.




Apaixonante ! Dá vontade de conhecer cada uma dessas artistas e as ouvirem dar o seu show.




Muito bom !


Valeu a pena !


Eu recomendo !




"A Dois Passos do Estrelato"-  Morgan Neville




quarta-feira, 16 de agosto de 2017

"O Que Há Entre Nós?" OU Um Erro de Cálculo ...





Assisti a um filme suíço, da diretora Claudia Lorenz, " O Que Há Entre Nós ?" que conta a história de uma família que após 18 anos terá uma grande mudança.






Alice (Ursina Lardi) é a esposa de Frank ( Dominique Jann), e juntos tiveram 3 lindos filhos : Luca (Flurin Giger), Nina( Rifka Fehr) e a caçula Sophie ( Lara Lassnig).






Eles vivem bem ,se mudaram recentemente , e tudo parece caminhar bem , até que Frank começou a se desinteressar sexualmente por Alice e ela encontrou no computador da casa, páginas de sites gays que não fecharam por completo.






Perguntando ao seu filho mais velho se tinha sido ele , e já recebendo como resposta uma negação , desconfiou do marido.






Não aguentou nem um dia para tirar isso a limpo e foi na lata com Frank, que não hesitou em dizer que sim, teria sido ele , uma curiosidade.






O interrogatório continuou , Alice fazendo mil perguntas , e Frank respondendo a todas elas , assumindo todo o seu sentimento e desejo reprimido pelo mesmo sexo , que vinha desde antes de se casarem.






Foi um choque ! Um terremoto na vida de Alice , que via seu marido se dividindo entre ela e outro homem, e morando ali na mesma cama.






Ela continuou sua pegada, o expôs para seus filhos e de tanto insistir com que ele ficasse com ela , transasse com ela, ele saiu de casa.






Foram dias horrorosos vividos por Alice que não aceitara a condição : vômitos, insônia, loucura, depressão , tudo do pior Alice sentiu nesses dias pós separação definitiva.




Passados alguns dias ...






Bom filme para reflexão ,para conversar e discutir o dia a dia de um casal, seus desejos, verdades, mentiras, filhos ...




Valeu a pena !




Eu recomendo !

"Gostosas, Lindas e Sexies " OU Um Quarteto de Peso




Infelizmente mais um filme nacional em que não dá para tirar nada além de um punhado de atrizes , que por causa de seu peso avançado, e a auto estima elevada , tentam mostrar que estão por cima na sociedade, mesmo que essa não as aceite , por causa do padrão.








As amigas Marilu ( Mariana Xavier), Ivone ( Cacau Protássio), Beatriz (Carolina Figueiredo) e Lyv Viese (Tânia) vão juntas à uma festa , para se divertir, dançar  , beber e paquerar .






Antes disso,  elas aprontaram para chegarem até essa festa. No elevador , teve até um pum !








No taxista ( Paulo Silvino), uma delas pegou a direção do motorista para irem mais rápido .




E na festa, teve até um boa noite cinderela ao avesso , deixando alucinada uma das gordinhas .






Marcos pasquim ( Edmundo ), André Bankoff  ( Daniel ) e Juan Alba ( Ricardo ) são os homens do pedaço.




Eliane Giardini e Márcia Cabrita têm suas participações : Uma no escritório e a outra no salão dando piti.






O filme do diretor Ernani Nunes, não chega em nenhum momento trazer nada de novo, nenhuma emoção ou vontade de rir.






Infelizmente , não consegui ver um roteiro, uma história e nem nada de interessante, além da pirocolândia de Marilu.




É isso ...



terça-feira, 15 de agosto de 2017

"Frantz" OU Qual a Relação entre Franceses e Alemães nos Dias de Hoje ?





Que filmaço !


Gostei muito do filme do diretor François Ozon " Frantz", baseado no filme de 1932," Não Matarás" de Ernst Lubitsch.


O filme, quase todo em preto e branco, fala do pós guerra, onde alemães e franceses se enfrentaram e muitas perdas ocorreram .




Na pequena Quedinburg, os pais de Frantz, jovem morto na guerra, vão se recuperando ao lado da noiva Anna ( Paula Beer).


Dr Hoffmeister( Ernst Stotzner) e Magda ( Marie Gruber) vão seguindo a vida, mas, muito machucados com a morte do jovem filho na guerra contra a França.


Anna, vai ao cemitério levar flores para o seu amado, quando de repente, percebe que alguém já havia deixado flores no túmulo. Vai então perguntar ao funcionário quem esteve ali.




Com muita indignação, respondeu que fora um estrangeiro francês, o que intrigara a moça.


Foi no dia seguinte, e novamente o moço estava lá frente ao túmulo, e Anna não teve dúvida ao interpela-lo .




Queria saber o motivo dele colocar flores no túmulo .


O francês, que se apresentava como Adrien Rivoire ( Pierre Niney) lhe respondera que era um amigo querido, que o conheceu em Paris, e que também era um soldado de guerra.


O pai de Frantz não aceitava a presença do francês, pois sabia que qualquer um poderia ter matado o seu filho.




Adrien foi entrando aos poucos na casa dos Hoffmeister, através de Anna e de sua mulher Magda, que queriam saber como o moço conheceu Frantz.


Ele contou histórias , passeios pelo Louvre em Paris, de como Frantz tocava violino com ele e outras aventuras pela cidade luz.




A mãe de Frantz vibrava com as histórias e Anna também, até que o pai cedeu e aceitou o francês em sua casa.




Anna e Adrien vão a cada dia criando um vínculo maior de intimidade, até que ele por fim conta toda a verdade a moça e volta para a França.


Anna, que não conta para os pais de Frantz a verdadeira história , segue sua vida, na ânsia de ser feliz, de ter um companheiro, e Kreutz ( Johann Von Bulow) é um de seus pretendentes, mas, depois que Adrien apareceu ...




A família Hoffmeister dá o maior apoio a moça para ir até a França tentar  achar o rapaz e ela segue os seus e os desejos dos queridos .




Depois de uma busca, acaba por chegar em uma pequena vila francesa, onde vive a família Rivoire, num castelo.




Será que Anna finalmente aceitará o ocorrido ? Será Anna feliz ao encontrar quem deseja ?




Ótimo filme, ótima fotografia e atuações de Paula Beer  e Pierre Niney .




Gostei muito e recomendo !




Valeu a pena !




"Frantz"- François Ozon