quarta-feira, 21 de junho de 2017

"Museu do Futebol" OU Um dos Melhores do Mundo



Estive novamente no "Museu do Futebol " em São Paulo , e como é gratificante visitar esse que é um dos melhores museus do mundo na minha opinião.


É muito organizado, sequencial, você já entra com os quadros de vários times, por sorte irá encontrar o seu favorito , de sua cidade .


Depois, você sobe , vê algumas coisas do Rei do Futebol , e entra na sala dos narradores , podendo você  escolher qualquer um e vários gols para escutar novamente .


Aí, vem o grito das torcidas , que é muito legal também ouvir o grito de guerra de vários times , com a projeção em vários lugares do concreto , como se fora uma arquibancada mesmo.


E então, a grande sala ! Aquela com fotos maravilhosas em preto e branco e colorida de todos os anos das copas do mundo  e os principais  fatos ocorridos , além do futebol.


Você encontra de tudo, desde foto de jogadores, equipes, lances de gols, até artistas famosos, políticos, esportistas de todas as modalidades, fatos que marcaram o mundo , enfim ...é muito gostoso e vibrante essa aula de história associada ao futebol, nossa grande paixão .


Ainda tem algumas expressões mais utilizadas no futebol , as diversas bolas desde o tempo do Zagaia , chuteiras e camisas ...



No final, você ainda tem a chance de chutar um pênalti de forma interativa e ver qual a velocidade de seu chute .


Muito legal mesmo !


Ah, tem a lojinha  também , onde tem vários artigos, eu por exemplo, comprei a camisa retrô de meu time .



Valeu a pena !


Eu recomendo !

"A Qualquer Custo" OU Dois Irmãos Na Contramão






Assisti a um belo filme do diretor David Mackenzie , " A Qualquer Custo" , que também concorreu ao Oscar de melhor filme em 2017 .  


O filme conta a história de dois irmãos totalmente diferentes , que tentam a qualquer custo recuperar um dinheiro para não permitir que o banco tome a casa deles no Texas.




Tanner ( Bem Foster), é um ex-presidiário , bem aloucado e com ideias mirabolantes, encontra-se com o irmão Toby ( Chris Pine) , que está fracassado, após o término de seu casamento e a separação dele para com os filhos .


Desse encontro, surge o plano de roubar todas as pequenas agencias da região do banco que quer tirar a casa da família deles por falta de pagamento.




Assim, eles começam uma a uma, roubando a mão armada, pedindo apenas que lhe dêem o dinheiro das gavetas, de notas pequenas, nada em maços ou pacotes , para que não haja nenhuma marca ou lote.


E os roubos vão indo bem , até que entra em cena o delegado do Texas ( Jeff Bridges), já quase em estado de aposentadoria  para tentar frear esses assaltos.




Ele e o seu parceiro vão então se fixar em uma cidadezinha distante do primeiro assalto, pois segundo o delegado ali eles também passariam.


E não deu outra !




Só que nesse dia, até no próprio banco deu chabu , pois houve troca de tiros, pessoas morreram e eles saíram fugidos com toda a população em busca deles com suas camionetes.




Até o momento em que Tanner, com seu fuzil fez todos retornarem da perseguição .




Mas, o delegado não ! E numa busca frenética arrumou mais um motivo para caçar esses dois malucos : o seu companheiro havia sido atingido.


Muito legal a trama, as locações , a trilha sonora e a atuação de Jeff Bridges .




Vale muito a pena !




Eu recomendo ! 




"A Qualquer Custo " - David Mackenzie

"De Gravata e Unha Vermelha" OU Bate Papo Documental





Depois de muito tempo guardado na estante, acabei assistindo o documentário " De Gravata e Unha Vermelha" da diretora Miriam Chnaiderman.




O filme foi produzido baseado em entrevistas com várias personalidades do mundo artístico , fashion , e também do dia a dia .




Entrevistados como Rogéria , discursaram um pouco sobre o processo de ser uma travesti , da masculinidade sempre mantida e da relação com sua mãe.




Ney Matogrosso foi outro que falou, como sempre da história da sua adolescência, dos tempos de ditadura, de sua relação com o pai ,e os momentos de transgressão com os Secos e Molhados.




Laerte, a cartunista, também falou da transição , de vestir -se de mulher e de não ter preferência por nenhuma orientação sexual.




Alguns transexuais  também deram o seu depoimento , suas angústias e conquistas nesse jogo cheio de preconceito e ódio.


Dudu Bertholini também falou de sua infância, e de sua atuação no mundo fashion , além de também afirmar que continua sendo uma figura do sexo masculino.




De uma forma ou de outra, vale os depoimentos , as conversas, apesar de que nada de diferente que não saibamos foi falado.




É isso ...


Valeu !




"De Gravata e Unha Vermelha" - Miriam Chnaiderman



terça-feira, 20 de junho de 2017

"Madame Satã - O Musical " OU Desafios de Um Negro, Pobre e Homossexual



Ufa! Depois de três dias para tentar pegar o ingresso no Caixa Cultural , às 9 horas , consegui o meu para assistir ao Musical "Madame Satã " do Grupo Dos Dez, com a direção de João das Neves .

Estava quase desistindo, mas, no terceiro dia, acordei e nem tomei o café da manhã para chegar lá e ficar na fila para esperar abrir e pegar o convite.


Valeu a pena !

A apresentação começou nas calçadas em frente ao prédio da Caixa , com as prostitutas, travestis e os malandros , zanzando prá lá e prá cá , mexendo com as pessoas, fazendo graça, tocando uma viola , o que durou pelo menos uns 20 minutos.


A farra acabou, quando a travesti foi abordada por um cara de moto que lhe proferiu umas facadas e ela caiu na sarjeta.


O corpo estendido no chão , imóvel e todos foram para dentro do teatro .

Um tempo para o início , com a própria travesti, na fala , dizendo que é assim na vida real : A travesti no chão , jogada e ninguém faz nada, ninguém se move nem para ver o corpo e levar para um local digno . Esse é o destino de um travesti no nosso país.


O musical nos traz reflexões desde o começo, com a origem pobre e marcada de João Francisco dos Santos, trocado por gado na infância e o menosprezo pela sua homossexualidade de uma sociedade dura e vil na Lapa dos anos 20.

O Grupo Dos Dez traz em cena um resgate do livro "Memórias de Madame Satã" de Sylvan Paezzo como ponto de partida para a criação do espetáculo.


A trilha sonora é toda original, composta pelos próprios musicistas e atores do grupo, com atuação ao vivo , de um bom gosto incrível .

No final, o que vimos é um retrato forte e atual do nosso Brasil. ainda marcado pelo ódio ao negro, pobre e homossexual e mais ainda pelos travestis e trans .

Destaque para o artista que fez a travesti, que na vida real é também um travesti , dando assim uma grande oportunidade de uma gente oprimida e sem opção no mercado de trabalho a fazer cultura e também a todo o elenco negro, coisa difícil de se ver em cena .


Valeu muito a pena !

Eu recomendo !

"Alegria Alegria -O Musical " - E Viva a Tropicália !


Fui assistir ao Musical " Alegria Alegria" , uma ode à Tropicália, com direção de Moacyr Góes no Teatro Santander , no Shopping JK Iguatemi.



O musical  tinha como narradora, a excelente atriz e cantora Laila Garin, já conhecida de outros musicais e novelas da Rede Globo.


Ela nos passa algumas fases, nessa história,onde a música através de seus ritmos, cores, mistura, danças e excelentes compositores , tentou de alguma forma abafar o horrendo período em que vivemos : A ditadura.

Assim, os números musicais foram surgindo um a um em sua maioria de autoria de Caetano Veloso , mas, também de Gilberto Gil, Roberto Carlos e outros.


E as escolhidas foram : Hino do senhor do Bonfim ; Tropicália ; Geléia Real ; Domingo no Parque ; Caminhos Cruzados ; Avarandado ; Soy Loco por Ti America ; No dia em que vim me Embora ; Quero que vá tudo pro Inferno ; A voz do morto ; Coração materno ; Bat macumba ; Baby ; Não Identificado ; É Proibido Proibir ; Alegria Alegria ; Os Argonautas ; Maria Bethânia ; Divino Maravilhoso ; London London ; Triste Bahia ; Chuva, Suor & Cerveja ; Atrás do Trio Elétrico ; A Filha da Chiquita Bacana ; Haiti ; Humble ; Odara ; O Xote das Meninas .


O elenco é maravilhoso, e destaque para Patrick Amstalden , já conhecido de outros musicais e Josi Lopes.

A Banda também deve ser exaltada, com acordes diferentes , deu uma outra leitura às músicas já conhecidas.


No final, um gostinho de quero mais , afinal, a música contagia a todos !

Valeu a pena !

Eu recomendo !

"Os Saltimbancos Trapalhões Rumo à Hollywood" OU A Volta de Didi e Dedé Santana





Os Trapalhões estão de volta ! Sim ! Didi e Dedé Santana estão no filme " Os Saltimbancos Trapalhões Rumo a Hollywood " do diretor João Daniel Tikhomiroff.




A história conta da decadência do Grande Circo Sumatra que está passando após a proibição do uso de animais nos espetáculos.




Assim, O Barão , o dono do circo , começa a aceitar pedidos indecorosos do prefeito da cidade em fazer comícios, e outros espetáculos nada a ver com a atividade circense.




Mas, Didi, com seus sonhos loucos , Dedé e Karina ( Letícia Colin) fazem de tudo para colocar o circo de pé e realizam um grande espetáculo.




Mesmo com a arrogância de Assis Satã ( Marcos Frota ) , o gerente do circo, eles finalmente conseguem trazer a alegria de volta.




Filme gostoso de se ver, principalmente por causa das músicas.




É isso !




"Os Saltimbancos Trapalhões Rumo a Hollywood" - João Daniel Tikhomiroff

"O Quarto do Piano" OU 201





Tenho esse filme há muito tempo, e sempre via a primeira cena e por algum motivo parava.


Interessante por si só é que se trata de um filme da Macedônia , assim, já vale a pena para conhecermos o que eles têm a nos oferecer.




" O Quarto do Piano" do diretor Igor Ivanov Izy é um emaranhado de esquetes ou histórias , em sua maioria composta por 2 pessoas que se estabelece sempre dentro de um mesmo quarto de um hotel famoso e glamoroso, que no momento disponibiliza apenas 1 de seus quartos a hóspedes.


Só que esse quarto é especial, pois nele ficaram vários famosos e célebres , inclusive um pianista que deixou o seu piano lá e nunca mais foi busca-lo.




Assim, esse quarto único e especial tinha um grande piano , além de suas histórias pitorescas.




As cenas têm no início e em alguns hiatos, o Manager ( Jovic Mihajlovski ) e a Camareira ( Natasa Petrovic) , que escreve suas cartas à sua mãezinha , que mora provavelmente em outra cidade, sempre num tom de sonho e ilusão , dizendo que o hotel ia de vento em pompa.




Várias são as histórias e personagens desse quarto , como um casal de jovens que brigam o tempo todo , e falam numa tal de Rusha ; um executivo pai de família, que chega todo de terno e se transforma em uma drag queen telefonando para seus parceiros ; um casal de moças estudantes que estão em conflito; um médico que leva uma amante , mas nunca a assume definitivamente ; um pai e um filho inquieto ; um velho que mais parece um louco que tem sua fortuna escondida no piano ...





As histórias vão e vêm , assim como o seu desenrolar . O filme é meio parado , com um pouco de emoção ou algo mais denso em seu final.




Gostei do final da camareira, que acabou sendo engravidada pelo gerente , criando sua filha no ambiente do hotel.




Valeu a pena !




Eu recomendo !